Certamente todos q são apaixonados por futebol gostariam de ver o nome “gorduchinha” na bola da Copa do Mundo no Brasil em 2014. Infelizmente, por esse nome já ter um registro e provavelmente exigir um investimento alto, essa opção foi deixada de lado. E eu realmente acho q essa decisão foi correta – se existe um obstáculo, existem outros caminhos.

A votação então ficou entre os nomes BRAZUCA, CARNAVALESCA e BOSSA NOVA.

Antes de falar de cada um deles, um parênteses. Diz essa reportagem q foi feito um shortlist de 50 nomes, dos mil listados, para q a diretoria do anunciante (Adidas) escolhesse essas três. Primeiro, criar mil nomes é normal. Qualquer especialista em naming pode ir até além desse número em seu desenvolvimento, portanto não se espantem. Outra coisa, mandar 50 nomes para diretores aprovar é “pedir” para q eles escolham os piores. Eles não são (nem devem ser) especialistas nisso, isso sem contar q os profissionais com esse nível hierárquico geralmente tem um poder de abstração extremamente baixo. Eles não vão, em sua maioria, pensar estrategicamente, mas sim em gosto pessoal – q não devem (NUNCA!) ser levados em conta nesses casos. Deveriam receber, no máximo, 10 nomes (pra escolher 3) com uma conceituação muito boa de cada opção. Fecha parênteses.

O q eu acho de cada um deles? Todos ruins. Imagine vc chutar o povo do país e um ícone da cultura nacional – Brazuca (bazuca?) faz referência aos brasileiros e Bossa Nova é um movimento cultural do país (é como ter sua marca estampada no capacho ou no lixo pra ser depreciada – e tem gente q ainda acha bacana). Carnavalesca é o pior de todos na minha opinião – tentaram trazer a festa popular para o produto, mas não conseguiram dizer nada tb.

Ontem a noite, ouvindo o Esporte em Debate na Rádio Bandeirantes, o jornalista Alexandre Praetzel levantou uma boa questão: se a Adidas tem uma bola chamada Tango e um tênis chamado Samba, pq a bola tb não leva o nome SAMBA? É um clichê sim, mas bem difundido no mundo e tem muito mais a ver com o gingado do futebol (estar na ponta do pé, etc…). Na verdade, se pararmos pra pensar, vamos encontrar muitos nomes mais interessantes q esses.

O fato mais importante pra mim é ver q, assim como foi feito com o logo da Copa 2014 (!), nenhuma das 6 empresas citadas como envolvidas no projeto está no mercado de design, portanto não são especialistas no assunto. Isso mostra como o caminho já começa torto, ao contrário das Olimpíadas 2016, outra vez.

É “ripa na chulipa”… :|:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...